quarta-feira, janeiro 25, 2006

Severa



Voltando ao fado...

No balcão rasca do Sólidó, entre um copo de três servido pela trisavó do triste fadista a que faltavam sete dentes a começar pelos da frente, soltaste a raiva presente numa nota só...

Se te alcunhavam Severa, de entre todas a mais fera, não seria por acaso. O desgraçado de mão em riste pecou por atraso. Afagava demorado uma nalga saliente outrora firme hoje pendente...

E a Severa de pé e o povo à escuta, solta-se um grito filho da p*ta e puxa a navalha presa na liga e contam as velhas da Lisboa antiga que do desgraçado ficou uma orelha e o resto do corpo morreu na ribeira e no fim da noite uma alcoviteira ainda viu a Severa no tasco acabado cantando alegre... tudo isto é fado.

3 comentários:

francis disse...

Excelente!!!

ritz disse...

tão bom

Anónimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it » » »

 

page counters